Casa na Malveira

Descrição

Esta casa situa-se no ponto alto da encosta de um monte, de onde se desfruta uma vista única que se perde no horizonte. É uma construção existente, dos anos 80, mas como se fosse do século anterior, incorporando em todos os vãos cantarias antigas compradas em demolições.

Por dentro, estruturava todos os seus espaços em torno de uma escada central, colocada ao longo do eixo da casa, servindo as várias plataformas desniveladas.

Paradoxalmente, não permitia uma relação adequada do interior com a vista, pelo menos da forma como a singularidade do lugar sugeria.

A intervenção manteve no essencial a morfologia da casa, nomeadamente o telhado de duas águas. Todas as janelas existentes foram simplificadas e rasgadas, de novo, em vidro liso e substituíram-se as pedras antigas por aros de aço pintado.

A grande transformação passa-se ao nível da cobertura, com o fecho dos lanternins existentes e recorte da nova “água furtada” que se projecta sobre a vista. Esta “água furtada” foi deixada a nu pela nova parede sul da sala, que foi  envidraçada na totalidade, depois de removidas as alvenarias existentes.

A remodelação dos interiores incidiu, principalmente, nas cotas superiores, quase sempre por subtracção. Na zona de quartos as paredes foram suprimidas, transformando o seu espaço numa nova suite em “open-space”.

A cozinha e a sala de jantar foram objecto de uma significativa reorganização espacial e construtiva. As cotas inferiores, por razões económicas, são mantidas na sua essência. A antiga cave enterrada, rompe agora para os pisos superiores através de uma escada em caracol no eixo da escada existente.

No exterior adicionou-se uma piscina construída em aterro, de forma a possibilitar uma plataforma nivelada de estadia, ligada à casa num gesto amplo que se completa no pavilhão de jardim, reenquadrando a paisagem. Aqui foram remontadas as cantarias antigas, numa alvenaria de pedra, com um banco junto à água, sob um plano de sombra.

Ficha Técnica

Localização

Malveira, Portugal

Projecto
2001 - 2002
Obra
2002
Área

450 m2

Arquitectura

ARX Portugal, Arquitectos lda.

José Mateus

Nuno Mateus

Colaboradores

Paulo Rocha, Stefano Riva, Marco Roque Antunes, Nuno Grancho, Tiago Santos

Estruturas

SAFRE, Projectos e Estudos de Engenharia Lda.

Fotografia

FG + SG – Fotografia de Arquitectura

Fotografia : Fernando Guerra

Produção Fotográfica : Sérgio Guerra

® copyright