Metropolis, Lotes 5 e 6

Descrição

Demolido o antigo Estádio José de Alvalade, formou-se um grande vazio urbano entre o novo estádio e a Alameda das Linhas de Torres. É um espaço delimitado por edifícios isolados, traseiras e ruas inacabadas, que carece de um novo sentido urbano.
É neste contexto que surge o empreendimento Metropolis, cujo plano foi o resultado do trabalho conjunto do atelier holandês T+T com o atelier lisboeta CPU. É um projecto baseado na construção de dois alinhamentos distintos de edifícios habitacionais assentes sobre uma grande plataforma de dois pisos. Essa grande plataforma, que vai integrar áreas comerciais e caves de estacionamento, possui um grande pátio central alongado no sentido norte-sul, que conforma uma rua comercial tranquila protegida do forte ruído automóvel das ruas envolventes. O alinhamento de edifícios habitacionais a poente descreve um arco que acompanha a curvatura do novo estádio. No lado oposto, a nascente, um segundo alinhamento ondulante é rematado por uma curva apertada que confere ao conjunto a forma de ponto de interrogação (sem ponto). O lote 5 encontra-se sensivelmente a meio deste alinhamento.
A concepção do plano resulta de uma opção por espaços urbanos dinâmicos, expresso em anotações dos desenhos iniciais: “dynamic instead of static“. Ao integrar esse plano, o lote 5 deveria também dar corpo a essas ideias.
O desenho deste lote passou então por uma revisão crítica do modo como esse conceito era traduzido na prática. Aceitámos então essa ideia de cidade em “movimento“, enquanto resultado de uma investigação da cinética aplicada à arquitectura, segundo uma abordagem eventualmente mais ligada a processos fenomenológicos do que cognitivos.
Em termos funcionais era pedido um edifício compacto (75% de área vendável), onde as tipologias deveriam variar entre T1 a T4, obedecendo a um padrão medio elevado.
O diagrama funcional que foi levado à prática cumpre esses pressupostos propondo uma estrutura simples e clara: o edifício orienta-se longitudinalmente no sentido norte-sul e todos os fogos têm contacto com as fachadas nascente e poente. Do lado nascente situam-se os quartos (lado “fechado“ – janelas pequenas) e a poente as áreas sociais (lado aberto – janelões) e varandas. Por isso, todos os fogos possuem ventilação transversal e luz solar directa de manhã e ao fim do dia.
De acordo com o plano, o lote 5 descreveria um arco que, segundo o nosso ponto de vista, obriga a uma complexidade construtiva que, na prática, produziria qualidades pouco perceptíveis nos espaços interiores. Por isso, neste projecto procuramos “sugerir“ o arco através de uma sequência de 3 troços rectos de dimensão progressivamente maior. Por outro lado, a ideia de movimento é sublinhada a poente, através da justaposição sobre esses troços, de uma “grelha“ oscilante de varandas com profundidade variável.
Nos espaços exteriores à roda do edifício essa ideia de movimento é sublinhada através do pavimento ajardinado que se ergue e esconde sobre si a sala de condóminos e o health club semi-afundados.
A investigação das tipologias de apartamento conduziria a outra ideia central deste projecto: casas “pousadas“ na cobertura. Por um lado, é uma forma de atenuar o impacto do edifício, que se consegue através da diferenciação destes volumes translúcidos em oposição ao carácter opaco dos pisos inferiores. Neste momento em que a qualidade urbana envolvente é ainda uma incógnita, garante-se, através da introdução de pátios ajardinados nestas casas (duplex), uma atmosfera afável que poderá escassear em redor. E esse é um tema que marca definitivamente a imagem do lote 5 do Metropolis: a cobertura entendida como espaço vivido intensamente.

Ficha Técnica

Dono de Obra
AM - MDC Multi Development Corporation, SA
Localização

Urbanização “Metropolis”, Lisboa, Portugal

Projecto
2005
Área

21.000 m2 - 11.230 m2

Arquitectura

ARX Portugal, Arquitectos lda.

José Mateus

Nuno Mateus

Colaboradores

João Alves, Paulo Rocha, Sónia Luz, Gonçalo Azevedo, Hugo Neto, Joana Pacheco, João Rodrigues, João Valente, Pedro Sousa, Sofia Raposo, Tânia Baptista, Francisco Marques

Conceito Urbano

T+T Design, Gouda – Holanda

Operação de Loteamento

CPU, Consultores

Estruturas

QUADRANTE

Instalações Técnicas

PEN, Projectos de Engenharia Lda.